Prevent Senior falsificou prontuários para esconder mortes com experimento em humanos

Prevent Senior falsificou prontuários para esconder mortes com experimento em humanos

Compartilhe

O depoimento do diretor da Prevent Senior, Pedro Batista Júnior, na CPI da Covid, embora tenha negado, tem servido para revelar diversos documentos e provas obtidas pela comissão, que dão conta de diversos crimes e falsificações, para encobrir a tragédia que foi a experimentação em humanos, do Kit Covid.

A prática mais comum foi a adulteração dos códigos CID, dos prontuários médicos de pessoas que morreram vítimas de Covid.

Após o falecimento do paciente, o lançamento do CID era o de Covid-19, porém, após 15 ou 20 dias, o prontuário com a causa morte era adulterado para outra doença.

A lei veda a alteração do prontuário médico após falecimentos, a menos que seja com alguma ordem judicial.

A alteração, por sua vez, servia para criar uma realidade paralela e esconder mortes com experimentos em humanos, fato ocorrido somente na Alemanha nazista. Com isso, os dados adulterados criavam uma realidade também falsificada, de que o Kit Covid era eficiente.

Bolsonaro era informado da situação através do gabinete paralelo e utilizava o discurso em defesa da cloroquina, contida no Kit Covid para o chamado “Tratamento Precoce”.

Compartilhe

One thought on “Prevent Senior falsificou prontuários para esconder mortes com experimento em humanos

  1. Reply
    jorge jose da silva
    setembro 25, 2021 at 9:56 am

    Quer dizer que o ‘brazil’ atual, [IN] evoluiu ao ‘nazifascismo moderno’? Só FALTA o b olsonaro nomear o novo dr. mengele, certo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: