Witzel vira réu por corrupção e lavagem de dinheiro; Flávio Bolsonaro segue impune

Witzel vira réu por corrupção e lavagem de dinheiro; Flávio Bolsonaro segue impune

Compartilhe

As águas que correm no Rio de Witzel, certamente, não correm no rio do seu ex-aliado Flávio Bolsonaro. Witzel virou réu por corrupção e lavagem de dinheiro, além de ter o afastamento do governo prorrogado por mais um ano. E Flávio Bolsonaro?

Isso corre nos quatro cantos do país, pois todos sabem que se acumulam denúncias com provas do enriquecimento ilícito de Flávio Bolsonaro, da relação de Queiroz com o filho do presidente, herdada do próprio pai.

Todos Sabem que Fabrício Queiroz era o homem chave entre o clã Bolsonaro e a milícia.

Queiroz era o homem do depósito, era quem organizava o dinheiro da divisão do clã através dos fantasmas e laranjas ligados a milicianos ou a seus familiares.

Todos sabem que não só o miliciano Adriano da Nóbrega, do escritório do crime, mas também sua família tinham transações alta monta no esquema de Flávio.

Foi o próprio Bolsonaro que confessou que mandou seu filho dar uma medalha da maior honraria do estado do Rio de Janeiro para o assassino, ex-Bope, Adriano da Nóbrega, a quem Bolsonaro classifica como herói.

Todos sabem que Flávio tem mais de 50 imóveis em seu nome, chegou a comprar, com dinheiro vivo, um conjunto de salas comerciais na Barra da Tijuca, justificando que o dinheiro tinha origem na fantástica fábrica de chocolate, através da franquia da Kopenhagen.

Enfim, todos os brasileiros sabem de tudo isso e muito mais sobre Flávio Bolsonaro, mas por uma impunidade absoluta e descarada, só o Ministério Público e o judiciário é que não sabem.

O sujeito segue no Senado sem ser incomodado, pois seu pai, que arrasta o país para um quadro de miséria cada vez mais aguda, de endividamento do Estado, do aniquilamento quase total da economia e do genocídio de bem mais de mil mortos por covid em 24 horas, chegando a quase 10 mil por semana e a quase 240 mil em 11 meses, não faz outra coisa na vida que não seja trabalhar dia e noite sacudindo todas as instituições brasileiras para, através do Palácio do Planalto, erguer uma muralha que impede que qualquer um se aproxime de Flávio, pois isso significaria atingir em cheio a carótida de Bolsonaro.

Detalhe, Bolsonaro conta com o apoio dos militares para essa operação abafa em nome da velha e suculenta boquinha das tetas da República.

*Carlos Henrique Machado Freitas

Compartilhe