Desmoralizado, Bolsonaro não elege sua indicada ao Tribunal de Haia, onde é réu.

Desmoralizado, Bolsonaro não elege sua indicada ao Tribunal de Haia, onde é réu.

Compartilhe

Tido como teste internacional de popularidade de um governo no mundo, a eleição para juízes do tribunal de Haia, conhecido como Tribunal Penal Internacional (TPI), entregou uma forte derrota diplomática do bolsonarismo. A juíza Mônica Sifuentes, desembargadora indicada por Bolsonaro para ocupar uma das cadeiras do tribunal, não conseguiu votos mínimos para o cargo.

É importante lembrar que Bolsonaro é réu nesse mesmo tribunal, por genocídio ambiental. Há, também, denúncias de genocídio por omissão no combate à pandemia de Covid-19.

O resultado pífio é encarado internacionalmente como grande derrota da diplomacia brasileira, liderada por terraplanista Ernesto Araújo.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *