VELHOS PARTIDOS PODRES COM NOME NOVO: Vejam os partidos que querem te enganar mudando os nomes.

Nessa onda de destruição de imagem política promovida pela Lava Jato, diversos reflexos deletérios à democracia, simplesmente, minaram a possibilidade de perpetuação natural das mesmas pessoas no poder. Com isso, diversas medidas foram tomadas, a principal é a mudança das leis eleitorais que, na verdade, estão reduzindo a representatividade popular na Câmara dos Deputados. O distritão, aprovado na Comissão de Reforma Política, é uma dessas medidas.


Porém, outras práticas mais inteligentes, mas normalmente questionáveis, são aplicadas com o uso do marketing. Nesses, existem dois grupos de partidos, os que mudaram de nome para tentar apagar o nome “partido” e seu passado de negociatas e golpe de estado e outros, que mudaram de nome, para se tornar uma espécie de “novo” no cenário político. No segundo grupo, normalmente estão os partidos nanicos e legendas de aluguel que, oportunamente, estão tentando se tornar qualquer coisa maior do que são. Ou seja, partidos de aluguel, nome de aluguel, marketing de aluguel.

Leia Também:   Ministros do TCU que julgarão Joesley, passaram final de semana em sua ilha, em Angra-RJ.

Na ânsia de se tornarem produtos mais palatáveis, o próprio PMDB é a maior piada nesse marketing oportunista de aluguel. O próprio DEM, que já foi PFL, que já foi PDS, que já foi ARENA, é o exemplo maior de imagem deteriorada por questões históricas. Veja:

  • DEM: Partido oriundo do antigo ARENA, que era o partido da situação na ditadura militar. Hoje, chamado de Democratas, já foi PFL (Partido da Frente Liberal) e eliminou o termo “partido” de seu nome, por questões de marketing, ainda na década de 2000.
  • PMDB: Com origem no antigo MBD, o Partido da Mobilização Democrática Brasileira, era a oposição chapa branca e permitida pelos militares, no período da ditadura. Hoje, protagonista de um golpe de estado, é um arremedo de sua origem, MDB, e seu presidente, Roméro Jucá, lançou a ideia de mudar o nome do PMDB, retornando a MDB. Como se retirar o termo “partido” fosse fazer alguma diferença no bueiro moral do partido.
  • PTN se tornou PODEMOS: Num dos primeiro casos de plágio ideológico e partido, o PTN (Partido Trabalhista Nacional) plagiou o ascendente PODEMOS espanhol, que se tornou a imagem do novo na Europa. Talvez seja o maior mico da política internacional, com repúdio em vídeo, inclusive, do fundador do PODEMOS original. A maior imagem do oportunismo no futebol, também o é na política, Romário é a imagem do “novo” do PODEMOS Brasil, onde até o golpe é paraguaio.
  • PTdoB agora é AVANTE: Partido de pouca representatividade na Câmara dos Deputados, teve uma atuação interessante contra o golpe parlamentar de estado de 2016. Seu principal expoente é o combativo deputado Sílvio Costa (PE). A mudança do nome está na categoria dos partidos que buscam se tornar o “novo”, dado a sua insignificância política no cenário nacional.
  • PEN mudará de nome para PATRIOTA: Seu viés ecológico que nunca existiu, dá lugar ao seu verdadeiro sentido de existência. Uma perfeita sigla de aluguel. O locatário da vez é o deputado Bolsonaro. Prova disso é o nonsense completo de mudança ideológica, antes era ecologista, agora é nazifascista.
  • PSDC ainda não decidiu o novo nome: Partido do eterno candidato José Maria Eimael, o Partido da Social Democracia Cristã é uma verdadeira loucura ideológica. Como pode ser social democrata e cristão ao mesmo tempo? Agora, buscando seu lugar ao sol, deve escolher um nome insosso como os demais. Afinal, marketing é (quase) tudo.
Leia Também:   DATAFOLHA: Lula lidera também entre os evangélicos.

Fábio St Rios

Cientista da Computação, Engenheiro de Software, Programador Senior, Profissional da Segurança de Dados e Estudante de História.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 3 =

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com