JUIZ QUE SUSPENDEU O DECRETO DE TEMER QUE EXTINGUE RESERVA É EX-BORRACHEIRO

O presidente ilegítimo Michel Temer editou um decreto que extinguia a Reserva Nacional do Cobre e Associados (Renca), mas uma ação na Justiça Federal de Brasília, obteve êxito e causou a suspensão do decreto. O juiz Ronaldo Spanholo, responsável pelo processo, concedeu a liminar.


A curiosidade está na origem simples do juiz que assumiu o cargo em 2015. Spanholo é uma das raríssimas exceções no judiciário com origem não hereditária de família ligada à justiça. Nascido em Sananduva no Rio Grande do Sul, foi borracheiro e trabalha desde os 9 anos de idade.

Tido como um juiz sóbrio e sem grandes holofotes, manteve o mesmo padrão comportamental, inclusive neste caso polêmico. A publicidade de sua história fica a cargo dos assédios da mídia, por exemplo, a Globo já usa seu caso como exemplo de perseverança e a defesa de uma meritocracia estúpida e cega.

A matéria do G1 ressalta a disciplina diante do sofrimento e a imensa carga de estudos para alcançar o “sonho”. Méritos a parte, é esperado que juiz não sucumba no mar dessa ditadura da maioria institucionalizada do judiciário.

Leia Também:   Luciano Huck terá de pagar indenização por danos coletivos, ambientais e apropriação de bem do coletivo.
Juiz federal Rolando Spanholo junto a parte dos 200 quilos de resumos que usou para estudar na preparação do concurso (Foto: Arquivo pessoal)

Fábio St Rios

Cientista da Computação, Engenheiro de Software, Programador Senior, Profissional da Segurança de Dados e Estudante de História.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + 2 =

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com