Ataque do gabinete do ódio é ação coordenada com pesquisa BigData e Márcio França.

Ataque do gabinete do ódio é ação coordenada com pesquisa BigData e Márcio França.

Compartilhe

Engana-se quem acha que o ataque a Guilherme Boulos não tem combinação entre outras bases de informação. Na véspera de um pleito confuso e embolado, na segunda posição, a BigData, que costuma divulgar pesquisas ais favoráveis à direita, saiu com uma pesquisa colocando Márcio França, o candidato número dois de Bolsonaro. Na sequência, uma série de ataques a Guilherme Boulos, com a #DerreteBoulos.

A análise é simples, atacar Boulos, para que os votos esvaídos de Russomano sigam para Márcio França. Como a diferença é muito pequena, seria melhor atacar Boulos que Bruno Covas.

Na mesma toada, França também saiu com uma espécie de divulgação limpinha, sem ataques, mas, reforçando que o candidato do PSOL já está na quarta ou quinta posição. Note:

GABINETE DO ÓDIO:

CAMPANHA DE MÁRCIO FRANÇA

https://twitter.com/WeferIgor/status/1327425462595973121

A estranha coordenação na ação entre os três entes da política é que levanta todas as suspeitas possíveis. Certamente, amanhã tudo deve ficar bem mais complicado, em publicações ditas como de pessoas comuns, supostamente não ligadas às campanhas.

Podemos estar em um movimento fraudulento de manipulação da opinião pública.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *