Russomano, enfim foi atingido pela rejeição de Bolsonaro e 2º turno entre Covas e Boulos se torna mais provável.

Russomano, enfim foi atingido pela rejeição de Bolsonaro e 2º turno entre Covas e Boulos se torna mais provável.

Compartilhe

A pesquisa Datafolha divulgada há pouco, traz algumas novidades importantes, duas delas já analisadas em matérias do A Postagem.

Primeiro, a queda de Russomano que, com o debate e o início da campanha, teve sua imagem diretamente ligada a Bolsonaro, que tem alta rejeição na capital paulista. Era uma questão de tempo, o seu derretimento. Outro fator importante, foi ter corrido dos debates eleitorais, achando que poderia repetir a estratégia de sua padrinho Bolsonaro.

Segundo, a elevação contínua de Guilherme Boulos, que conseguiu se tornar o principal antagonista de Bolsonaro. Ou seja, Boulos afirmou ser o único candidato realmente contrário e frontal opositor ao presidente. Portanto, conseguiu angariar o apoio da maioria, que afirmou que não votaria em hipótese alguma em um candidato apoiado por Bolsonaro.

Terceiro, Tatto cresceu 3%, com a entrada do ex-presidente Lula, na jogada.

Observando os levantamentos, Guilherme eleva 2% a cada semana e o derretimento de Russomano e muito acelerado, para ser analisado no âmbito dos gráficos. Ou seja, o segundo turno entre Guilherme Boulos e Bruno Covas é altamente provável.

Nesse momento, se outras pesquisas confirmarem a movimentação em massa do eleitorado, com Covas (24%), Russomano (20%) e Boulos (14%), seria mais fácil acreditar em um segundo turno entre Bruno Covas e Guilherme Boulos, com apoio de Lula, é óbvio, ao candidato de esquerda, do MTST.

Há muito o que comemorar.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *