Pazuello sobre Bolsonaro e a vacina chinesa: “É simples, um manda e o outro obedece…”

Pazuello sobre Bolsonaro e a vacina chinesa: “É simples, um manda e o outro obedece…”

Compartilhe

O ministro da Saúde, o general da ativa Eduardo Pazuello, se manifestou pela primeira vez depois de ter sido desautorizado em público no episódio da vacina chinesa, a Coronavac. “É simples assim, um manda e outro obedece. Mas a gente tem carinho”, disse Pazuello nesta quinta-feira (22), que foi diagnosticado com Covid-19, em uma live com Jair Bolsonaro.

Nesta quarta-feira (21), depois de a pasta já ter tido feito um anúncio de que compraria 46 milhões de doses da vacina chinesa e se reunido com autoridades do governo de São Paulo, local do Instituto Butantan, que faz uma parceria com o laboratório chinês Sinovac para a produção do imunizante, Jair Bolsonaro atacou a China, criticou a vacina em público e negou a compra. O Ministério da Saúde deletou das redes sociais a postagem em que fazia o anúncio.

Sobre a Covid, Pazuello relatou ter sentido cansaço, dor de cabeça e febre, e afirmou ter tomado hidroxicloroquina, o vermífugo anita e azitromicina. Bolsonaro aproveitou para fazer propaganda dos medicamentos e disse que o fato de o ministro ter melhorado comprova a eficácia das substâncias.

*Brasil 247

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *