Google é processado pelo governo dos EUA por monopólio em buscas e anúncios online

Google é processado pelo governo dos EUA por monopólio em buscas e anúncios online

Compartilhe

Esmael Morais: O Departamento de Justiça acusou formalmente o Google de manter um monopólio ilegal sobre buscas e anúncios em buscas. Esse é o maior processo antitruste em 20 anos nos EUA que desafia o poder de mercado da empresa de tecnologia do mundo.

Em uma ação judicial, movida em um tribunal federal em Washington, na terça-feira (20), a agência acusou o Google, uma unidade da Alphabet, de usar vários contratos e acordos comerciais exclusivos para impedir a concorrência.

Esses contratos incluem o pagamento de bilhões de dólares pelo Google à Apple para colocar o mecanismo de busca do Google como padrão para iPhones. Ao usar contratos para manter seu monopólio, diz o processo, a concorrência e a inovação foram prejudicadas.

O Google respondeu descrevendo o processo como “profundamente falho”.

“Este processo não faria nada para ajudar os consumidores”, disse a empresa em um comunicado em seu site. “Ao contrário, aumentaria artificialmente alternativas de pesquisa de qualidade inferior, aumentaria os preços dos telefones e tornaria mais difícil para as pessoas obterem os serviços de pesquisa que desejam usar.”

O procurador-geral William P. Barr, nomeado pelo presidente Donald Trump, desempenhou um papel extraordinariamente ativo na investigação. Ele pressionou os advogados de carreira do Departamento de Justiça a abrirem o caso até o final de setembro, provocando reação dos advogados que queriam mais tempo e reclamaram de influência política. Barr falou publicamente sobre o inquérito durante meses e estabeleceu prazos apertados para os promotores que lideram o esforço.

O processo pode se estender por anos e pode desencadear uma cascata de outros processos antitruste de procuradores-gerais estaduais. Cerca de quatro dezenas de estados e jurisdições conduziram investigações paralelas e devem trazer reclamações separadas contra o controle da empresa sobre a tecnologia para publicidade online.

Uma vitória do governo poderia refazer uma das empresas mais reconhecidas da América e a economia da Internet que ajudou a definir desde que foi fundada por dois alunos de graduação da Universidade de Stanford em 1998.

Mas o Google há muito tempo nega as acusações de violações antitruste e deve lutar contra os esforços do governo usando uma rede global de advogados, economistas e lobistas. A Alphabet, avaliada em US$ 1,04 trilhão e com reservas de caixa de US$ 120 bilhões, lutou contra processos antitruste semelhantes na Europa.

Compartilhe