Como Bolsonaro vai acabar ajudando Lula a ser inocentado no STF?

Como Bolsonaro vai acabar ajudando Lula a ser inocentado no STF?

Compartilhe

Para além de todos os desastres que representam o governo de Bolsonaro, há um elemento fundamental que vai ajudar o ex-presidente Lula a ser inocentado, a briga com o ex-super-juiz da Lava Jato, Sérgio Moro.

Bolsonaro, pela sua característica egocêntrica e vingativa, foi afrontado duas vezes por Moro. Na primeira, quando foi esnobado no momento em que o atual presidente nem era candidato, quando tentou tirar uma foto com o então super-juiz da Lava Jato e a segunda, na sua saída do governo, quando acusou Bolsonaro de interferência política na Polícia Federal. Diga-se de passagem, Moro tinha razão nas duas, mesmo que valha tanto quando o presidente.

Agora, como líder político do Brasil, Bolsonaro certamente pensa, assim como todos os egocêntricos, que seu gesto de reconsiderar a esnobada e chamar Moro para compor seu governo, foi um imenso ato de “caridade”. Como deu errado e Moro o traiu, é natural que uma pessoa egocêntrica e vaidosa se sinta ainda mais traído que o normal. Surge daí, a ânsia por vingança.

Há também, além da questão pessoal, as eleições 2022. Para destruir a imagem de Sérgio Moro, só acabando com a Lava Jato. Surge daí, a declaração de que a Lava Jato acabou, por que não há corrupção em seu governo.

Para enterrar a força tarefa da república de Curitiba, só impondo diversas derrotas, fato que já vem acontecendo sem a interferência de Bolsonaro. Por isso, a indicação de um juiz ligado ao Centrão, com fama de garantista. (Obs: Garantistas são os juízes que julgam a partir das garantias legais do réu e não da punição).

A entrada de Kassio Nunes no STF, dá maioria contra a Lava Jato. Pode parecer estranho que Bolsonaro, eleito pelo discurso punitivista, haja contra o punitivismo, mas, na verdade,  o que ele quer é desconstruir Moro, na liderança do gado teleguiado e com isso, atingir a própria Globo, Folha e outros. Aliás, a ligação de Moro com a Globo é bem conhecida.

O cálculo feito pelo Planalto é que o desgaste político pode ser revertido ao longo do tempo e os programas sociais possam ampliar a popularidade do governo, mesmo em eleitores tradicionalmente do PT, ou do ex-presidente Lula. Assim, com Moro fora da jogada, Bolsonaro teria mais chances nas eleições 2022 e estaria, sobretudo, vingado de um traidor.

Ora, como Lula será beneficiado? O julgamento da suspeição de Moro será com a presença do novo ministro do STF, Kassio Nunes. Com o placar apertado, se Kassio Nunes cumprir seu histórico e sua jura a Bolsonaro, votará pela condenação do ex-super-juiz e assim, por consequência, inocentará Lula.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *