Por que a União Soviética foi tão combatida? Veja as cinco maiores contribuições dos “comunistas”.

Diversos avanços sociais do regime Socialista da União Soviética são reconhecidos no meio acadêmico mas, profundamente combatidos na mídia. Um dos principais pontos de compreensão da expansão da exploração do homem nos últimos anos, com a ampliação da selvageria do capitalismo, também pode ser compreendida pela ótica do fim da dualidade Capitalismo versus Comunismo.


Havia, até o fim da União Soviética, um esforço na construção das não nações centrais do capitalismo, a imagem de um sistema próspero para todos, ou quase todos. Na Europa, políticas de construção de estados de bem estar social contribuíam para melhorar a imagem do capitalismo nos países periféricos. Nos EUA, por exemplo, diversos hospitais existiam com fundo filantrópico e havia política de valorização da mão de obra e promoção de novos postos de trabalho. A “vitória” definitiva do modelo capitalista e o fim da dualidade com o socialismo soviético marcou o início do avanço do grande capital sobre o estado e sobre as população.

Leia Também:   Golpe na África: Zimbábue tem as ruas tomadas por tropas do exército.

Sem parâmetros de comparação, o capitalismo teve total liberdade para retornar ao liberalismo clássico, fantasiado de neo-liberalismo e globalização. Com isso, a qualidade de vida e direitos sociais começaram a ser perdidos paulatinamente, desde a década de 1990. No Brasil, chegamos ao máximo, no governo ilegítimo de Michel Temer.

Quando se elenca os principais avanços da União Soviética, reconhecida pelo meio acadêmico, é compreendemos o quão sua existência era importante para que o capitalismo tivesse algum êxito social e bem estar da população até a década de 1990.

1. Mulheres politicamente ativas.

A União Soviética foi a primeira unidade nacional ou de união de estados nacionais a estabelecer direito totalmente iguais para homens e mulheres. Com isso, a participação política feminina ficou garantida, não só em participação em eleições, como candidatas a cargos eletivos.

Leia Também:   TRUMP ACABA COM NEUTRALIDADE DA INTERNET: Já tem data para terminar.

Já em 1920, eram mais de 600 mulheres ocupando cargos similares ao de prefeito no Brasil.

Marcha das mulheres na revolução russa de 1917.

2. Primeiro país europeu a reconhecer os direitos reprodutivos.

Já em 1920, a União Soviética foi o primeiro país europeu a legalizar o aborto.

Pôster soviético sobre o aborto

3. Combate ao colonialismo.

Um dos mais importantes discursos políticos da URSS foi o combate ao colonialismo ocidental, com apoio bélico, de capitais e reforço militar de colônias europeias. O cado mais emblemático foi o forte apoio à independência da Índia, que foi crucial no processo.

Selos soviéticos comemorando a “amizade” entre União Soviética e Índia

4. Educação gratuita.

A universalização da educação gratuita, das séries iniciais ao doutorado, foi uma das principais contribuições da União Soviética para o mundo. Diversas Nações componentes da URSS não tinham sistema de educação pública, como o caso da Bielorrússia. No mundo, antes de 1920, não existia sistema público de ensino superior, sendo criado, pelo primeira vez, e de forma universalizada pelos socialistas soviéticos.

Leia Também:   REGIME INTERMITENTE NÃO CONTA PARA APOSENTADORIA: Nos casos em que a renda não supere o salário mínimo. 
Pôster para estimular os jovens a frequentarem o sistema de educação soviético com a inscrição: “Para se ter mais, deve-se produzir mais. para produzir mais, deve-se saber mais”

5. Controle do consumo de drogas.

Considerado, pelo estado soviético, uma degradação do capitalismo, o uso de drogas era combatido com proximidade do estado, em diversos níveis atuação. Foram efetuadas diversas ações de combate no âmbito social, educacional e de mídia. Com isso, os níveis de uso de drogas eram baixíssimos.

O sucesso no combate às drogas foi motivo de ações da CIA, no intuito de compreender as ações do estado, que levou Ronald Reagan a uma reação política, declarando guerra às drogas, nos anos 1980.

Fábio St Rios

Cientista da Computação, Engenheiro de Software, Programador Senior, Profissional da Segurança de Dados e Estudante de História.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 − dois =

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com