STJ/FÉLIX FISCHER NEGA PROVIMENTO A LULA POR PARCIALIDADE DE MORO: Com o supremo e com o “STJ” dentro.

O juiz Félix Fischer fez o que estava no script. Negou o recurso da defesa de Lula que pedia a suspeição de Moro. O mais estranho disso tudo, é que o próprio Ministério Público Federal deu parecer favorável ao ex-presidente.


Na prática, acusação e defesa concordaram com a parcialidade do Juiz curitibano. Porém, o corporativismo falou mais alto. O que endossa a tese é o fato de que nenhum pedido de suspeição foi aceito por qualquer uma das cortes durante a Lava Jato. Um exemplo disso, é atuação de Gilmar Mendes no caso Jacob Barata. Alguém tem dúvida da parcialidade? Mesmo assim, o pedido da PGR foi negado.

Qual seria o efeito de ser julgado por outro que não Moro? Se juiz é imparcial, que sentido teria passar o julgamento a outro? A questão demonstra, na verdade, que além do corporativismo, há a necessidade de tudo passar pela mão do “super-herói” do golpe. Como bem disse Jucá nas gravações de Sérgio Machado: “Com o supremo e com tudo dentro”. Inclusive o Superior Tribunal de Justiça.

Leia Também:   Ministros do TCU que julgarão Joesley, passaram final de semana em sua ilha, em Angra-RJ.

Fábio St Rios

Cientista da Computação, Engenheiro de Software, Programador Senior, Profissional da Segurança de Dados e Estudante de História.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco + dezesseis =

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com