BOLSAS DO CNPq SERÃO SUSPENSAS A PARTIR DE SETEMBRO: Bolsas de mestrado, doutorado, iniciação científica e pesquisadores.

Ao que tudo indica, a compra dos votos dos deputados federais para barrar a denúncia contra Temer, está cobrando a conta de vários setores estratégicos e importantíssimos para o desenvolvimento social e da soberania nacional. Por falta de verbas, diversos programas de pesquisa estão sendo cancelados e o contingenciamento que atingiu as universidades, já coloca em xeque a educação superior pública a partir de setembro.


O desastre da vez são as bolsas de pesquisadores cientistas, doutorandos, mestrandos e de iniciação científica. O fato foi confirmado pelo PIBIC (Comitê do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica), que publicou uma nota confirmando.

“Até agosto conseguimos honrar nossas dívidas. De agora para frente, se não houver uma ampliação dos limites de empenho, vamos ficar impedidos de cumprir os compromissos assumidos, incluindo o pagamento de bolsas“, afirma Mario Neto Borges, presidente do CNPq.

Será o completo de desastre do meio acadêmico uma vez que, os pesquisadores necessitam da bolsa para financiamento, não só dos insumos de pesquisa, mas para a própria subsistência, no caso dos mestrandos e doutorandos.

NOTA DO COMITÊ

Leia Também:   TEMER ENCONTRA AÉCIO PARA DISCUTIR A CEMIG E TRAMAR UM GOLPE NO PSDB

O Comitê do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) da Universidade Federal do Rio de Janeiro, reunido em sessão de 2 de agosto de 2017, vem a público expressar indignação com as notícias veiculadas em relação aos cortes no orçamento do CNPq e à suspensão do pagamento de bolsas de estudo. O programa de bolsas de iniciação científica e tecnológica é uma iniciativa única no mundo na formação de alunos de graduação, preparando gerações de pesquisadores e contribuindo para a soberania nacional. Os estudantes beneficiários têm a oportunidade de obter treinamento avançado em laboratórios de pesquisa, preparo para carreiras inovadoras, e inserção na Pós-Graduação. Existente desde a fundação do CNPq, em 1951, o Programa de Iniciação Científica é um patrimônio da comunidade científica e de toda sociedade brasileira. Este Programa nunca sofreu descontinuidade mesmo em momentos mais graves de crise econômica e durante governos de diferentes matizes ideológicas.

Leia Também:   TEMER É RECEBIDO COM PROTESTOS EM MATO GROSSO DO SUL

Em um momento em que nos deparamos com cortes já concretizados na CAPES, FAPERJ e outros órgãos de fomento, estas notícias causam enorme preocupação em relação à continuidade do PIBIC, uma vez que o CNPq é responsável pela concessão de 50% das bolsas de Iniciação Científica (IC) e Iniciação Tecnológica (IT) na UFRJ.

Avaliamos que há um projeto político em curso, que se concretiza em um ataque e desmonte da Ciência e da universidade pública no Brasil, que acarretará prejuízos inestimáveis para toda a sociedade.

Repudiamos os cortes anunciados no orçamento do CNPq, compreendendo que estes inviabilizam a existência da própria agência e o futuro do país.

Leila Rodrigues da Silva
Pró-Reitora de Pós-Graduação e Pesquisa
Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa – PR-2
Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ

Leia Também:   O BRASIL À BEIRA DO COLAPSO FINANCEIRO: COM DÍVIDA PRÓXIMA A 90% DO PIB, BRASILEIRO NÃO FAZ IDEIA DO TAMANHO DO PRECIPÍCIO.

Fábio St Rios

Cientista da Computação, Engenheiro de Software, Programador Senior, Profissional da Segurança de Dados e Estudante de História.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 + 20 =

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com